Pelé e a cachaça

Completou 74 anos no último dia 23 de outubro o brasileiro mais famoso da história: Edson Arantes do Nascimento, ou simplesmente Pelé. Desde que apareceu para o mundo nos gramados da Suécia, na Copa de 1958, o Rei do Futebol nunca mais deixou de ser alvo de empresas interessadas em colar suas marcas a ele.

O que Pelé sempre se recusou a fazer foi associar seu nome a bebidas alcoólicas. Não por falta de ofertas: em 1959, a usina Chiabrando & Amandola, de Piracicaba (SP), ofereceu ao pai do jogador, Seu Dondinho, um cachê para que o craque batizasse uma cachaça. O próprio Pelé conta a história: “Era um ótimo cachê. Mas na hora H eu disse: pai, isso não é bom pra mim. Propaganda de pinga não pega bem”. As poucas embalagens da “Caninha Pelé” que faziam parte de um lote de teste viraram artigo de colecionador. O rótulo estampava a foto do jogador com o terno usado na volta da copa da Suécia.

 

Veja outras marcas que associaram seus nomes a Pelé:

 

fonte

http://almanaque.blog.br/2010/11/pele-e-a-cachaca/#more-949