A Origem dos Inventos – Lata de Aço

Em 1809, o governo francês de Napoleão Bonaparte fez um apelo para que fossem desenvolvidos métodos para a conservação de alimentos. O inventor e industrial Nicolas Appert atendeu ao chamado e criou o método de conservação de alimentos por meio de aquecimento em recipientes herméticos (conhecido como appertização), mas não patenteou suas pesquisas (ver EmbalagemMarca nº 127, março de 2010). O inglês Peter Durand, que teve acesso às pesquisas publicadas por Appert, não perdeu tempo e registrou a invenção em 1810.

O pedido de patente é a primeira citação registrada de que recipientes revestidos de estanho poderiam ser usados na conservação de alimentos. Era o início da história das embalagens de lata, que revolucionou a alimentação no mundo.

Em 1811, Durand vendeu sua patente à empresa de alimentos em conserva Donkin, Hall and Gamble, de Londres, que foi a primeira a utilizar embalagens produzidas com chapas de ferro estanhadas. Toda a produção da empresa foi destinada ao exército britânico. As primeiras latas só chegaram aos consumidores civis em 1830, mas demoraram a cair no gosto popular, já que a abertura era difícil, exigindo o uso de martelo e talhadeira (o abridor de latas só foi inventado em 1858).

A evolução da estrutura da lata continuou em 1824, quando o inglês Joseph Rhodes desenvolveu um método prático de colocação da tampa e do fundo: a recravação. Mas o sistema só passou a ser utilizado em larga escala muitos anos depois.

Latas de conservas de 1899

Paralelamente, nos Estados Unidos, a William Underwood Company, de Boston, iniciou a produção comercial de conservas em latas, em 1821. Na época, os enlatados eram vistos com desconfiança, e só começaram a fazer sucesso durante a Guerra Civil americana (1861-1865), devido à escassez de alimentos frescos.

Em 1825, o inglês Thomas Kensett, que havia imigrado para os Estados Unidos e tinha uma indústria de conservas de alimentos, substituiu os vidros de boca larga tampados com rolhas de cortiça por latas de folhas de flandres (aço). Até então, as latas eram produzidas a partir de chapas de ferro estanhadas. Ele ficou conhecido como o “pai da indústria da lata”.

O aumento da demanda levou ao aperfeiçoamento dos processos de fabricação de latas e de envasamento. O primeiro grande passo foi dado em 1846, com a invenção da máquina para impressão gráfica para o corpo das latas, a litografia, seguida pela invenção das máquinas de lavar as embalagens.

Por volta de 1900 já havia máquinas que produziam 20 000 unidades por dia. Entre 1870 e 1900, o número de indústrias que acondicionavam seus produtos em latas saltou de menos de dez para mais de 1 800. Em 1930, as latas começaram a se tornar populares, e eram utilizadas para diversos tipos de produtos, desde alimentos até graxas para sapatos e cremes para cabelos. Bebidas só estrearam nas latas de aço em 1935, com o lançamento da cerveja Krueger’s. No Brasil, a primeira bebida acondicionada em embalagens metálicas foi a cerveja Skol, em 1971.

Fábrica de conservas em latas, em gravura de 1898 do

fonte

http://almanaque.blog.br/2010/06/lata-de-aco-200-anos-de-historia/