A Origem das Marcas – FNAC

Suas lojas utilizam modernas tecnologias para exibição, demonstração e experimentação de produtos. Nelas, tudo está ao alcance dos clientes, utilizando o modelo totalmente baseado na “compra pela experiência” – aquele em que o cliente entra para tomar um cafezinho e, envolvido pelo ambiente, testa todos os produtos possíveis e acaba levando uma televisão de 50 polegadas para casa. Em um espaço agradável, é possível folhear revistas, ler livros, ouvir discos e mexer nos equipamentos sem o compromisso de comprar nada. O conceito das lojas FNAC proporciona ao cliente uma experiência cultural enriquecedora.

A história
Tudo começou exatamente no dia 31 de julho de 1954, quando dois amigos e militantes de extrema esquerda, André Essel e Max Théret, apaixonados por fotografia e cultura, fundaram uma cooperativa de compradores no segundo andar de um apartamento alugado da Rue de Sebastopol em Paris, com o nome de Féderation Nationale d’Achat des Cadres (cuja abreviação seria conhecida como FNAC), onde os sócios conseguiram acordos com o comércio especializado que se comprometeu a oferecer preços de 10 a 20% inferiores aos valores de mercado na França. Mais de 50 lojas aderiram ao novo conceito de negócio. Porém os sócios reivindicaram uma seção dedicada a produtos para fotografia. Devido ao grande interesse foi inaugurado departamento de material fotográfico e cinema chamado de Clube Foto-Cine. O elo de ligação dos associados com a FNAC era uma revista de informação denominada “Contact”. Somente três anos mais tarde foi inaugurada a primeira loja em Paris (localizada na Boulevard Sebastopol), vendendo produtos de fotografia e som apenas para membros. Pouco depois a loja passou a vender discos também. A empresa festejou o seu décimo aniversário em 1964, com um volume de negócios de 50 milhões de francos, empregando 95 pessoas e contando com mais de 100 mil associados. Dois anos depois, em 1966, a FNAC passou a vender seus produtos também para o público em geral, sem a necessidade de se tornar associado. Em 1969 foi inaugurada a segunda loja em Paris, próxima ao famoso Arco do Triunfo.


No ano de 1972 ocorreu a abertura da primeira loja fora de Paris, localizada na cidade de Lyon. Dois anos mais tarde foi inaugurada a terceira loja parisiense: a Fnac Montparnasse na Rua de Rennes. O ano de 1974 foi marcado por um acontecimento muito importante: livros começam a aparecer nas prateleiras das lojas e deram início àquela que viria a ser, juntamente com a venda de discos, a mais forte vertente de negócio da empresa naquela década. Ainda nos anos 70, a FNAC passou a vender dentro de suas lojas equipamentos de vídeo e eletrodomésticos. A década seguinte começou com a inauguração do departamento de informática. Logo depois, em 1981, ocorreu a abertura da primeira loja no exterior, localizada em Bruxelas na Bélgica. No final desta década, a FNAC já era a maior vendedora de discos da França, alcançando aproximadamente 20% de participação de mercado.


Em 1991, a FNAC Etoile se mudou da Avenue Wagram para Avenue des Ternes, tornando-se a maior loja da rede com mais de 20.000 m². Nesta década a empresa experimentou um forte período de expansão internacional com inauguração de lojas em Berlim, no ano de 1991; na cidade de Madri em 1993; em Wijnegem na Bélgica; Saint-Lazare em Paris; nas cidades espanholas de Barcelona e Valência; em Villeneuve d’Ascq perto de Lille; e a enorme loja na luxuosa Champs-Elysées em Paris, especializada em discos, vídeo, Cd-Rom e telefonia; todas em 1997. Nos anos seguintes foram inauguradas lojas em Portugal (1998), duas unidades no Brasil em 1999 e uma unidade na Ásia, localizada em Taiwan. Além disso, a empresa foi adquirida pelo conglomerado de luxo Pinault-Printemps-Redoute (conhecido como PPR) em 1994. Com a chegada do novo milênio a FNAC continuou sua expansão inaugurando novas unidades, aumentando sua oferta de produtos, lançado marcas próprias (como periféricos, acessórios e mochilas para notebook) e seguindo sua filosofia de espalhar cultura onde quer que esteja.


A linha do tempo
1957
● Início da venda de televisões, rádios, gravadores e equipamentos hi-fi em sua loja.
1961
● Criação do departamento de discos.
1972
● Criação do laboratório de ensaios, que testava e selecionava o material para venda.
1975
● Início da venda de equipamentos de vídeo.
● Lançamento da FNAC Auto-Rádio, filial do grupo que vendia e instalava rádios, alarmes e telefones em automóveis.
1977
● Criação do departamento de eletrodoméstico.
1978
● Lançamento da FNAC SERVICE, encarregada da exploração de pequenas lojas de serviços fotográficos.
1980
● Criação do departamento de informática.
1990
● Inauguração da primeira FNAC MUSIQUE, na Place de la Bastille em Paris, unidade especializada na vende de produtos relacionados a música.
1992
● Inauguração da primeira FNAC MICRO em Paris, loja especializada em produtos de informática, entre os quais computadores, impressoras e monitores.
1997
● Lançamento da FNAC TELECOM, pequenas lojas especializadas em telefonia.
● Lançamento da FNAC JUNIOR, oferecendo uma seleção de produtos e serviços destinados a crianças de até 12 anos de idade.
1999
● Lançamento do comércio on-line.


O conceito
A FNAC acredita que consultar, experimentar, comparar e avaliar produtos de perto são condições fundamentais para que o cliente faça a escolha certa. E para auxiliar nessa escolha, a empresa conta com consultores, que são grandes conhecedores da área em que atuam, e que, para manter a imparcialidade e sinalizar ao consumidor as melhores opções para suas necessidades, não recebem nenhuma comissão sobre as vendas. Além de ser uma loja de varejo, a FNAC também se destaca pelos aproximadamente 250 eventos culturais gratuitos que promove anualmente em cada uma de suas lojas ao redor do mundo. Shows, palestras, sessões de autógrafos e bate-papos movimentam o dia-a-dia das lojas. Estes eventos permitem o contato dos clientes com personalidades da vida cultural, política e econômica. Além disso, possibilitam o lançamento de novos talentos da literatura, música e demais tipos de arte.


Dados corporativos
● Origem: França
● Fundação: 31 de julho de 1954
● Fundador: André Essel e Max Théret
● Sede mundial: Ivry-sur-Seine, França
● Proprietário da marca: PPR Group
● Capital aberto: Não (subsidiária)
● Chairman & CEO: Alexandre Bompard
● Faturamento: €4.47 bilhões (2010)
● Lucro: €188 milhões (2010)
● Lojas: 148
● Presença global: 9 países
● Presença no Brasil: Sim (10 lojas)
● Maiores mercados: França, Espanha, Portugal e Brasil
● Funcionários: 14.370
● Segmento: Livrarias
● Principais produtos: Livros, DVDs, CDs, revistas, jornais e eletrônicos
● Ícones: O ambiente cultural de suas lojas
● Slogan: Agitateur de curiosites.
● Website: www.fnac.com

A marca no Brasil
Em 1999 a FNAC ingressou no Brasil através da aquisição do Atica Shopping Cultural em São Paulo, abrindo simultaneamente as duas primeiras lojas do continente americano: uma no Shopping Metrô Tatuapé (que fecharia anos depois) e outra em Pinheiros (com mais de 4.5 mil m²). Atualmente, são dez lojas no Brasil, três em São Paulo (FNAC Paulista, FNAC Pinheiros e FNAC Morumbi, dentro do Morumbi Shopping), uma em Campinas (Shopping Parque Dom Pedro), uma no Rio de Janeiro (Barra Shopping), uma em Curitiba (Park Shopping Barigui), uma em Brasília (Park Shopping), uma em Porto Alegre, uma em Belo Horizonte e outra na cidade de Ribeirão Preto. As vendas no Brasil correspondem a 5% do faturamento total da empresa, alcançando a maior taxa de crescimento do grupo no mundo, com o site vendendo mais do que todas as outras subsidiárias virtuais da rede, perdendo apenas para a França.


A marca no mundo
A FNAC é o primeiro distribuidor europeu de produtos culturais e de lazer, oferecendo aos seus milhões de clientes a mais vasta seleção em literatura, música e novas tecnologias como televisões, som e vídeo, equipamentos fotográficos, acessórios para telefonia e produtos de papelaria. A empresa possui 148 lojas espalhadas por 8 países como França (com mais de 80 unidades), Bélgica, Espanha (+ de 20 lojas), Brasil, Grécia, Itália, Portugal (17 unidades) e Suíça, além de Taiwan (onde atua com o nome de Fayaque). Os produtos de informática respondem por 32% do faturamento total da empresa, seguido por CDs, DVDs e jogos de computadores (22%), livros (19%) e produtos fotográficos (9%). Somente na França, a FNAC é maior livraria, oferecendo 774 mil títulos de livros; a maior loja de música, com 335 mil opções, além de possuir 2.3 milhões de membros, 18 milhões de clientes e receber mais de 150 milhões de pessoas em suas lojas anualmente.

Você sabia?
● A FNAC é a maior revendedora no Brasil da marca Apple.

fonte

http://www.mundodasmarcas.blogspot.com.br/2006/06/fnac-o-mundo-da-cultura.html