A Origem da Marca – Google

Uma página em branco com uma logomarca colorida e um pequeno espaço para uma linha de texto representa o que existe de mais bem sucedido na Internet. O site de busca GOOGLE. Mesmo quem não usa (será que alguém não usa?) a Internet conhece o GOOGLE, sabe que ele é um mecanismo de busca, sabe que basta digitar um termo para procurar assuntos relacionados e de longe conhece o logotipo do serviço. Se Coca-Cola é sinônimo de refrigerante ou Gilette é o nome que se dá a qualquer barbeador descartável, podemos dizer que Internet é GOOGLE. Se alguém falar em Internet, vai ter que falar em GOOGLE, que hoje oferece muito mais que uma simples busca, oferecendo serviços online, redes sociais, sistema de anúncios e uma centena de outras funções e possibilidades. Não é exagero nenhum dizer que o GOOGLE já domina o mundo! Afinal um sistema de buscas sabe o que as pessoas gostam, onde elas gostam de ir, o que elas ouvem, comem, bebem e lêem. E tem mais: nenhuma outra empresa simboliza tão bem e de forma tão abrangente o início do século 21 quanto o GOOGLE.A história
Tudo começou no verão de 1995 com o surgimento de um sistema chamado BackRub, que recebeu esse nome devido à sua habilidade única de rastrear os links na Internet, criado dentro da Universidade de Stanford por dois estudantes de doutorado de ciência da computação: Sergey Brin, um russo de 23 anos, e Larry Page, um americano de 24 anos. O BackRub ganhou alguns aperfeiçoamentos e em 1997 a ferramenta foi batizada oficialmente com o nome de GOOGLE (cujo domínio original era google.stanford.edu), que ganhava popularidade e consumia a largura da banda de Internet da universidade como um pequeno monstrinho. Enquanto as aranhas, programas de computador que mapeiam a web, trabalhavam em ritmo frenético, a Internet de toda a universidade simplesmente parava.
Com isso, o projeto deveria ganhar uma nova sede. Os dois estudantes estavam endividados devidos aos gastos com a empresa e precisavam de um investidor. Esse investidor foi Andy Bechtolsheim, um dos fundadores da empresa Sun Microsystems. De Andy, os dois amigos ganharam um cheque no valor de US$ 100 mil. O cheque estava endereçado à Google Inc. (que ainda não existia). Larry e Sergey foram obrigados a fundar oficialmente a empresa no estado da Califórnia, exatamente no dia 4 de setembro de 1998. Quando isso aconteceu, a equipe saiu em setembro da Universidade de Stanford (mantinham os computadores que rodavam o GOOGLE em seus dormitórios) e foi para a garagem da casa de uma amiga dos fundadores da empresa chamada Susan Wojcicki, localizada no endereço 232 da Santa Margarita em Menlo Park.
O primeiro empregado contratado, Craig Silverstein, um colega do curso de ciência da computação em Stanford, se tornaria mais tarde diretor de tecnologia da empresa. No final do ano, o sistema de busca já respondia a 10.000 requisições por dia. Nesta época, reportagens veiculadas sobre o GOOGLE em tradicionais jornais como USA Today e o francês Le Monde, demonstravam o sucesso que estaria por vir. O GOOGLE ganhou adeptos em toda a rede ao quebrar alguns paradigmas até então adotados pelos sistemas de buscas, como o pioneiro Altavista. Em lugar de apresentar páginas de maneira aleatória, o serviço introduziu o conceito de relevância nas pesquisas dos usuários. Com a ajuda de algoritmos matemáticos e programas de computador que varriam a rede em busca de conteúdo, as respostas eram apresentadas pela ordem de importância dentro da Internet. Com o sucesso, em 1999, a empresa, então com apenas 8 funcionários, mudou sua sede para cidade californiana de Palo Alto. Nesse mesmo ano ocorreu a adição de um link para pesquisas limitadas a documentos do governo americano na página do GOOGLE. Era a primeira modificação que a página sofria.
Em 2000 o GOOGLE começou a vender anúncios associados a palavras-chave de busca. Com o intuito de manter um projeto organizado da página e aumentar a velocidade, as propagandas eram exclusivamente baseadas em textos. No dia 9 de maio deste mesmo ano foram lançadas as primeiras 10 versões de idiomas do Google.com: francês, alemão, italiano, sueco, finlandês, espanhol, português, holandês, norueguês e dinamarquês. Pouco meses depois, no dia 12 de setembro o GOOGLE começou a oferecer pesquisas em chinês, japonês e coreano, o que elevou para 15 o número total de idiomas disponíveis. Foi também neste ano que o GOOGLE passou a ser o novo motor de busca do Yahoo!, substituindo o tradicional Inktomi, tornando-se o sistema de busca mais popular segundo pesquisa da StatMarket ao anunciar o primeiro índice com 1 bilhão de URLs (endereços na Internet). No dia 27 de março de 2001 o site já estava disponível em 26 idiomas. Pouco depois, no dia 1 de agosto a empresa abriu seu primeiro escritório internacional, na cidade de Tóquio. Um mês mais tarde, uma nova parceria com o Universo Online (UOL) tornou o GOOGLE o principal serviço de pesquisa para milhões de latino-americanos. No ano de 2002, a empresa implantou uma filosofia revolucionária: os engenheiros e funcionários foram incentivados a dedicar 20% do seu tempo trabalhando em algo que não fosse seu projeto principal. Serviços famosos como o Google Notícias e o Gmail surgiriam dessa filosofia adotada pela empresa.


No dia 17 de fevereiro de 2004 o índice de pesquisa atingiu uma nova marca: 6 bilhões de itens, o que incluía 4.28 bilhões de páginas da web e 880 milhões de imagens. No dia 18 de agosto deste mesmo ano, o GOOGLE fez uma oferta pública inicial de 19.605.052 cotas de ações ordinárias Classe A em Wall Street. O preço de abertura foi de US$ 85 por ação. Com a abertura de seu capital na Bolsa de Valores a empresa se transformava em um gigante do mercado financeiro americano. No mês seguinte existia mais de cem domínios GOOGLE (Noruega e Quênia foram os de números 102 e 103). A lista cresceu e atualmente já passa de 160.


No final de 2005 a empresa informou oficialmente a abertura dos primeiros escritórios em São Paulo e na Cidade do México. No ano seguinte um fato marcou a história do GOOGLE: no dia 27 de janeiro o Google.cn, a versão de domínio local do GOOGLE, foi ao ar na China. Ainda neste ano o GOOGLE introduziu várias novidades como o bate papo no Gmail, usando as ferramentas de mensagem instantânea do Google Talk; a introdução das versões locais do GOOGLE MAPS na França, Alemanha, Itália e Espanha; o Gmail em idiomas árabe e hebraico, o que elevou a 40 o número de interfaces; a pesquisa de livros, que começou a oferecer downloads gratuitos de PDF de livros de domínio público; e a pesquisa de patentes nos Estados Unidos, indexando mais de sete milhões de patentes desde 1790. No dia 15 de dezembro deste ano, os Googlers, como são carinhosamente chamados seus funcionários, de todo o mundo vestiram pijamas e chinelos para trabalhar no primeiro “Dia do Pijama” da empresa. Alguns opositores vestiam smoking. Este fato era apenas um retrato do ambientes descontraído de trabalho dentro da empresa.


Recentemente, em 2008, o GOOGLE fez grandes avanços com uma importante iniciativa, que envolveu toda a empresa, para assegurar que todos os seus produtos estejam disponíveis nos 40 idiomas lidos por mais de 98% dos usuários de Internet. No dia 25 de julho o sistema de indexação para processamento de links indicava que o GOOGLE contabilizava um trilhão de URLs únicos (enquanto o número de páginas da web individuais crescia vários bilhões por dia). Era um gigante que não parava de crescer. Em 2011, ao pagar US$ 12.5 bilhões pela Motorola Mobility, o GOOGLE fez a maior aquisição de sua história e acirrou a disputa com a Apple. Isto porque, o GOOGLE será capaz de controlar todos os aspectos de seus celulares, desde o equipamento em si até o sistema operacional. Mas pode ter arrumado uma grande encrenca com as fabricantes de smartphones. A razão para realizar uma transação desse porte foi o fortalecimento do Android, o sistema operacional para smartphones e tablets, desenvolvido pelo GOOGLE, e alvo freqüente de processos por violação de patentes por parte da Apple e da Microsoft. A transação, no entanto, provocou um vendaval em todo o mercado de internet móvel. Isso porque, ao ingressar no segmento de produção de smartphones e tablets, a empresa de internet passa a competir diretamente com a Apple nessa área e também se torna concorrente daquelas que até então eram suas aliadas, as fabricantes de celulares, como Samsung, LG, Sony Ericsson e HTC.


Apesar do sistema de busca ser a vitrine de negócios, o GOOGLE pode ser visto realmente como uma empresa de mídia, que pretende colocar à disposição dos internautas o conteúdo das maiores bibliotecas do planeta ou os vídeos das principais emissoras de televisão do mundo. O GOOGLE representa uma das maravilhas da computação e não há dúvidas de que é um regente na Internet que não ignora idiomas, sistemas operacionais, culturas, idéias e credos. No GOOGLE há espaço para tudo e para todos. A capacidade de inovar é diretamente proporcional a sua disposição em ganhar dinheiro. Os resultados financeiros são impressionantes. Afinal, hoje em dia, o GOOGLE está presente em todas as nossas ações na Internet, e viver sem ele parece ser uma missão impossível. Não só utilizamos o site de buscas, mas, também o Orkut, YouTube, Google Reader, Maps e Earth, além de Gmail e Gtalk, entre (muitos) outros serviços. Por tudo isso, Google.com tornou-se o endereço mais conhecido e acessado do mundo virtual, onde milhares e milhares de pessoas encontram respostas para dúvidas e problemas dia após dia. É fonte de informação, pesquisa, notícias, curiosidades, etc.


A linha do tempo
1998
● Em 28 de abril de 1998 foi lançado o “Boletim Google Friends”, publicação mensal no eGroups para manter os fãs informados sobre as notícias da empresa (ele é publicado até hoje, nos Grupos do GOOGLE).
1999
● Em 21 de setembro, o serviço sai da fase de testes e a palavra “BETA” é removida do logotipo.
2000
● Lançamento do GOOGLE ADWORDS, um sistema revolucionário de anúncios, que logo geraria seus primeiros lucros para a empresa. Lançado no dia 23 de outubro para 350 clientes, o programa de anúncios de auto-atendimento prometia ativação on-line com um cartão de crédito, segmentação por palavras-chave e avaliação de desempenho.
● Lançamento do GOOGLE TOOLBAR, a famosa barra de ferramenta do programa para ser instalada no navegador que permitia pesquisar sem visitar a página inicial do GOOGLE, disponível oficialmente no dia 11 de dezembro.
2001
● Lançamento do GOOGLE IMAGE SEARCH, serviço de busca de imagens na Internet, lançado oficialmente no dia 28 de julho, com acesso à 250 milhões de imagens.
● Lançamento do GOOGLE ZEITGEIST, estatísticas a respeito das palavras mais pesquisadas. Quanto mais as pessoas pesquisam on-line, mais padrões existentes permitem aprender sobre o que está em nossas mentes. O nome tem origem na palavra alemã Zeitgeist (espírito do tempo) referindo aos acontecimentos de uma determinada época.
● Aquisição do DEJA’S USENET ARCHIVE, o maior grupo de discussão da Internet (um arquivo de 500 milhões de discussões), que foi remodelado e passou a chamar GOOGLE GROUPS.
2002
● Aquisição no dia 17 de fevereiro da empresa Pyra Labs, responsável pelo desenvolvimento do BLOGGER, serviço que oferece ferramentas e hospedagem para a criação de diários eletrônicos, conhecido popularmente como BLOGS.
● Lançamento do GOOGLE NEWS, serviço que permite a busca de notícias na Internet. O novo serviço foi lançado oficialmente no dia 23 de setembro com quatro mil fontes de notícias. Atualmente este serviço está revolucionando o mercado de notícias, deixando seus usuários bem mais informados e também fornecendo ao GOOGLE tudo o que as pessoas gostam de ler, quais as empresas ou pessoas que geram mais notícias e quais os assuntos que ganham mais destaque na mídia. Em novembro de 2005 foram lançadas as versões em português tanto para o Brasil como para Portugal.
● Lançamento do FROOGLE (mais tarde conhecido como GOOGLE SHOPPING), serviço que permite fazer buscas por determinado produto ou realizar comparações de preços.
● Lançamento do GOOGLE LABS, o site para apresentação de novas tecnologias ou serviços que estão sendo desenvolvidos pelas equipes da empresa.
● Lançamento do primeiro hardware do GOOGLE: uma caixa amarela (chamada de GOOGLE SEARCH APPLIANCE) através da qual as empresas podiam conectar a sua rede de computadores para ativar recursos de pesquisa em seus próprios documentos.
2003
● Lançamento em março do GOOGLE ADSENSE, sistema que permitia aos webmasters obter fundos por meio de anúncios de texto. O serviço visava fornecer anúncios aos usuários cadastrados para que ajudassem a divulgar os clientes de publicidade para os quais o GOOGLE vendia espaço. Assim, cada um que tivesse cliques computados nos Anúncios Google ganharia uma fatia do rendimento proporcional aos lucros obtidos.
● A busca também foi incrementada. De acordo com a palavra-chave digitada, a tradicional caixa de texto do GOOGLE já era capaz de rastrear vôos em aeroportos, realizar operações matemáticas e muito mais.
● Lançamento no dia 1 de abril do programa de publicidade gratuita destinado a organizações sem fins lucrativos para veiculação de campanhas de anúncios gratuitos para suas causas.
● Lançamento no dia 17 de dezembro do GOOGLE PRINT (agora conhecido como GOOGLE BOOK), primeiro mecanismo de busca de livros digitalizados através do conteúdo de bibliotecas e editoras. No dia 9 de outubro de 2009, a empresa anunciou que o número de livros escaneados havia superado os dez milhões. De acordo com o tradicional jornal New York Times, hoje o sistema digitaliza aproximadamente 3.000 livros por dia.
2004
● Lançamento do GMAIL (abreviação de GOOGLE MAIL), serviço de correio eletrônico que provocou uma revolução na Internet ao oferecer 1 Gigabyte de espaço aos usuários gratuitamente. Na época em que foi lançado, era preciso ser convidado para ter uma conta. Somente no dia 14 de fevereiro de 2007, em pleno Dia dos Namorados nos Estados Unidos, a empresa disponibilizou o Gmail para todos.
● Lançamento do GOOGLE SMS, permitindo que usuários realizem buscas diretamente de seus celulares enviando suas consultas de texto para GOOGL ou 466453.
● Lançamento do GOOGLE DESKTOP SEARCH, um pequeno utilitário para realização de buscas rápidas e documentos armazenados em seus próprios discos rígidos usando a tecnologia GOOGLE.
● Lançamento no dia 17 de março do GOOGLE LOCAL, que oferecia listagens de negócios importantes, mapas e rotas. O serviço acabaria sendo integrado ao GOOGLE MAPS, que foi ao ar pela primeira vez no dia 8 de fevereiro de 2005, oferecendo mapas urbanos que permitem traçar rotas entre pontos, localizar endereços e uma série de outras possibilidades.
● Aquisição do PICASA, serviço voltado para o gerenciamento e organização de imagens.
● Criação do ORKUT, uma rede social filiada ao próprio GOOGLE, que surgiu com o objetivo de ajudar seus membros a criar novas amizades e manter seus relacionamentos. Atualmente o serviço conta com mais de 100 milhões de usuários.
● Lançamento no dia 19 de abril do Blog oficial do GOOGLE. Desde então, a rede de blogs corporativos se expandiu para contar com mais de 150 blogs em 17 idiomas, com cobertura de notícias sobre vários produtos, tecnologias e iniciativas.
● Inauguração no mês de maio da famosa GOOGLE STORE. Desde sua inauguração a loja, voltada para funcionários, vendeu mais de 90.000 brinquedos, inclusive 10.472 lava-lamps e mais de 20.000 ioiôs.
● Lançamento da versão beta do GOOGLE ACADÊMICO, um serviço gratuito que ajuda usuários a pesquisarem literatura acadêmica, como por exemplo, artigos científicos, teses, livros, pré-impressões, resumos e relatórios técnicos.
2005
● Lançamento do MY SEARCH HISTORY, capaz de manter um histórico dos últimos termos pesquisados, permitindo que os usuários visualizem todas as páginas da web que visitaram e as pesquisas do GOOGLE que fizeram ao longo do tempo.
● Lançamento do GOOGLE WEB ACCELERATOR, software para acelerar a navegação na Internet.
● Lançamento do GOOGLE TALK, um comunicador de mensagens instantâneas e de VoIP bastante simples e eficiente. Ele permite que os usuários do Gmail conversem ou troquem mensagens instantâneas gratuitamente com amigos de modo fácil e rápido usando um microfone de computador e alto-falantes (não é preciso ter telefone).
● Lançamento do GOOGLE EARTH, serviço de mapeamento baseado em imagens de satélite que combina visualização de construções em 3D e terrenos com recursos de mapeamento e pesquisa do GOOGLE. O novo serviço, apresentado no dia 28 de junho, permitia a localização de países, cidades e até ruas utilizando fotos de satélite de alta resolução. O serviço havia sido lançado em 2001 pela empresa Keyhole Inc., comprada pelo GOOGLE em 2004, com o nome de Earth Viewer.
● Lançamento, no dia 19 de maio, da Página Inicial Personalizada (agora conhecida como iGoogle) permitindo que as pessoas personalizem sua própria página inicial do GOOGLE com módulos de conteúdo escolhidos por elas.
● Lançamento da Pesquisa Google de Blogs, através da qual era possível localizar postagens de blogs atuais e pertinentes sobre tópicos específicos por toda a imensa blogosfera.
● Lançamento do GOOGLE READER, um leitor de feeds, apresentando oficialmente na conferência Web 2.0, em São Francisco.
● Lançamento do GOOGLE TRANSIT. Os moradores da área metropolitana de Portland, no estado do Oregon, agora podiam planejar suas viagens usando transporte público em um único lugar.
● Lançamento no dia 15 de dezembro do Gmail para celular nos Estados Unidos.
● Lançamento do GOOGLE ANALYTICS, antes conhecido como Urchin, para medir o impacto de sites e campanhas de marketing na Internet.
● Lançamento do BLOGGER MOBILE, permitindo aos blogueiros usar seus telefones celulares para postar e enviar fotos a seus blogs.
2006
● Lançamento do GOOGLE VIDEO PLAYER, uma loja de vídeo, onde produtores de vídeos passam a definir preços e licenças de uso para seus conteúdos.
● Lançamento do GOOGLE CALENDAR, serviço de agenda on-line que pode ser compartilhado.
● Lançamento do GOOGLE FINANCE, serviço de informações financeiras e econômicas.
● Lançamento do GOOGLE TRENDS, uma maneira de visualizar a popularidade de pesquisas ao longo do tempo.
● Lançamento do GOOGLE APPS, um pacote de aplicativos que inclui Gmail e Google Agenda, projetado para organizações de todos os portes.
● Lançamento do GOOGLE CKECKOUT, serviço de processamento de compras, semelhante ao PayPal.
● Aquisição do YOUTUBE, site que permite aos seus usuários carregarem, assistirem e compartilharem vídeos em formato digital. O site foi adquirido por US$ 1.6 bilhões.
● Aquisição da JOTSPOT, empresa especializada na criação de páginas feitas por muitos internautas e mais conhecidos como wikis.
● Aquisição do FEEDBURNER (maior sistema gerenciador de feeds RSS do mundo) por US$ 100 milhões. Mais de 65 milhões pessoas usam diariamente os serviços do sistema. A compra mostrou como os feeds se tornaram parte importante da distribuição de conteúdo na Internet.
2007
● Inclusão de informações de trânsito no Google Maps para mais de 30 cidades nos Estados Unidos.
● Lançamento no dia 25 de maio do GOOGLE STREET VIEW, que permitia imagens panorâmicas de várias ruas de algumas cidades americanas. O serviço funciona da seguinte maneira: um carro passa fotografando o que está acontecendo de interessante em alguma rua ou quadra de uma cidade. Em 2010 Brasil, Irlanda e Antártida foram incluídos no serviço, agora disponível em sete continentes.
● Lançamento do GOOGLE HOT TRENDS, utilitário que permite ver o que as pessoas estão pesquisando em tempo real.
● No Developer Day (Dia do Desenvolvedor), em 30 de maio, foi anunciado o GOOGLE GEARS (atualmente conhecido apenas como Gears), uma tecnologia de código aberto para criar aplicativos web off-line.
● Lançamento do GOOGLE TRANSLATE, serviço gratuito de tradução instantânea de textos e sites. No ano seguinte o tradutor incluiu mais 10 idiomas (búlgaro, croata, tcheco, dinamarquês, finlandês, hindu, norueguês, polonês, romeno e sueco), o que elevou o total para 23. Atualmente o serviço oferece tradução instantânea para mais de 52 idiomas.
2008
● Lançamento do GOOGLE CHROME, em versão beta (versão de testes), de um navegador em código aberto com uma implantação mais rápida do interpretador Javascript, e adotando diversas funções na interface para facilitar a vida de quem usa aplicativos on-line. Em princípio, o browser, disponível em 43 línguas, poderia ser usado em 100 países através de computadores que operavam o sistema operacional Windows. Futuramente, o navegador também foi adaptado para as versões Linux e Mac. Atualmente o GOOGLE CHROME, disponível em mais de 50 idiomas, possui aproximadamente 25% de participação no mercado de navegadores.
● Em um evento de desenvolvedores, realizado no dia 12 de maio, a empresa mostrou uma prévia do GOOGLE FriendConnect, um conjunto de funções e aplicativos que permite aos proprietários de sites adicionarem recursos sociais a seus sites, como cadastro, convites, galeria de membros, postagem de mensagens e resenhas, além de aplicativos criados pela comunidade de desenvolvedores do OpenSocial.
● Lançamento do ANDROID, sistema operacional para dispositivos móveis, que permite aos desenvolvedores escreverem software na linguagem de programação Java controlando o dispositivo via bibliotecas desenvolvidas pelo GOOGLE. O GOOGLE havia comprado em 2005 a pequena empresa fundada pelo engenheiro Andy Rubin por estimados US$ 50 milhões. O que despertou o interesse do gigante foi o fato de Rubin desenvolver naquele momento um promissor sistema operacional para celulares, o Android. Existem atualmente mais de 100 mil aplicações disponíveis para Android, que detém mais de 43% de participação no mercado de sistemas operacionais. Estima-se que a receita do GOOGLE proveniente da publicidade móvel e da venda de aplicativos supere US$ 2 bilhões por ano.
2009
● Lançamento do GOOGLE VOICE, recurso que funciona como um gerenciador de contatos, unificando números telefônicos do usuário, como telefone comercial, de casa e móvel, em uma única combinação.
● Lançamento do GOOGLE LATITUDE, serviço que permite localizar amigos e visualizar suas localizações através do Google Maps. O usuário também pode integrar o serviço ao próprio celular, e ser rastreado via satélite.
2010
● Lançamento do GOOGLE FONT API, um sistema para facilitar o uso de diferentes fontes em páginas web.
● Lançamento do GOOGLE BUZZ, serviço que incorporou ao Gmail funções de compartilhamento de fotos e vídeos, além de status, tornando-o mais parecido com redes sociais, como Facebook e Twitter.
● Apresentação da GOOGLE TV, com a proposta de levar a presença do GOOGLE para a sala de estar de milhões de consumidores, indo muito além do universo dos computadores de mesa ou portáteis. A nova plataforma une a Internet à tradicional televisão permitindo a utilização de inúmeros recursos como a busca por filmes e shows e a possibilidade de assisti-los via cabo ou web; assistir a vídeos em Flash; ler notícias; enviar e-mails; e personalizar a tela inicial com seus canais e sites favoritos. O novo produto é uma parceria entre o GOOGLE, Intel e a Sony.
2011
● Lançamento da rede social GOOGLE+, que conta com todas as funcionalidades comuns a diversas outras redes sociais, como um mural para publicar mensagens, fotos, vídeos e links; álbum de fotos; versão para smartphones; etc.
● Lançamento do GOOGLE MUSIC, uma loja virtual onde os usuários poderão comprar músicas pela Android Market, em um formato semelhante ao iTunes, da Apple, e compartilhar o conteúdo pelo Google+.


Porque tanto sucesso?
Se há uma receita que explique o sucesso do GOOGLE é essa: a empresa sabe desvendar os desejos de internautas do mundo todo. Com suas criações, acabou revolucionando a maneira das pessoas lerem e-mails, procurarem novos caminhos e até conhecerem outras pessoas. O GOOGLE é uma empresa de Internet muito, muito especial. Cresceu quando a bolha das empresas on-line estava murchando. Na primeira olhada, graficamente, a sua página não empolga. Não há cores berrantes e bonecos falantes. O GOOGLE é um sucesso de público e crítica, e seu charme está exatamente naquilo que não se encontra hoje no mundo virtual: simplicidade e objetividade. Nada é paradoxalmente tão simples e sofisticado como o serviço de buscas GOOGLE. Por trás da aparência simplista da interface se esconde um arsenal de tecnologia, como o sistema PageRank. Trata-se de um mecanismo que classifica os sites de acordo com a quantidade de links externos que apontam para ele. Em outras palavras, quanto mais links um site tiver em outros, maior é seu grau de importância no GOOGLE. Seja no Brasil, na Nova Zelândia, Alemanha ou México, sua ferramenta gratuita de busca é a mais acessada e garante praticamente boa parte da receita da empresa com a venda de anúncios. Mas o GOOGLE ainda tem muito que lucrar com suas outras faces, ainda pouco disseminadas. Gratuitas, com exceção dos pacotes para grandes corporações, as soluções seguem a filosofia de reunir, organizar, compartilhar e divulgar informações de maneira prática e simples. Seguindo a tendência de personalização, pioneirismo e facilidades para seus usuários, combinado com o incentivo aos próprios funcionários para pesquisa de novos produtos, além de um apetite voraz para comprar empresas em todo o mundo, o GOOGLE já oferece mais de uma centena de aplicativos e serviços on-line, dos mais complicados aos mais simples. Afinal, levante a mão quem nunca usou pelo menos um dos mais conhecidos: Google Search, Gmail, Google Maps, Picasa, Google Earth, Google Vídeo, Youtube, Orkut, Blogger, Google Desktop, Google News e uma enorme lista que segue.


Entre seus principais aplicativos ou serviços, que prometem ajudar os usuários a organizar sua vida virtual, é importante destacar:
Gmail
Criado inicialmente com 1GB de espaço de armazenagem, este serviço gratuito de e-mail modificou o conceito de webmail e forçou o mercado a se reinventar. Seu surgimento forçou o Yahoo e a Microsoft, que ofereciam apenas 6MB e 2MB (1MB equivale a 1 milhão de bytes) respectivamente, a aumentar a capacidade dos seus serviços de mensagens para continuarem competitivas. O mesmo teve de ser feito por outros servidores pagos. Pouco tempo depois, o Gmail aumentou novamente o espaço oferecido e assim sucessivamente a ponto de, hoje, cada usuário poder guardar 315 bytes por segundo em seu endereço virtual. Atualmente o serviço possui mais de 193 milhões de usuários e oferece mais de 7.5 GB de espaço de armazenamento.
Gtalk
Para atrair ainda mais usuários, em agosto de 2005, as contas de e-mail do GOOGLE ganharam mais uma funcionalidade: um serviço de mensagem instantânea. Com o Google Talk, as pessoas podiam usar gratuitamente o comunicador enquanto estavam na página do Gmail. O produto foi criado para competir diretamente com o MSN, da Microsoft, e o Yahoo Messenger, da Yahoo. De lá para cá, a ferramenta ganhou novas funcionalidades, como envio de documentos e integração do site de relacionamento Orkut. A inclusão da opção de áudio e vídeo também fez com que a empresa entrasse em uma disputa com o comunicador Skype. Hoje em dia o aplicativo está disponível em mais de 14 idiomas.
Docs
Esta ferramenta permite que pequenas empresas economizem com licenças de softwares para realizar tarefas simples de editar textos e planilhas. Com o Google Docs o usuário importa documentos, planilhas e apresentações. Como os documentos são armazenados online, o acesso pode ser feito de onde ele estiver. Ou seja, se uma pessoa precisar modificar algum arquivo durante uma viagem para o exterior, ela consegue cumprir a tarefa até se estiver em uma lan house. Outra grande sacada da ferramenta é permitir que os arquivos sejam compartilhados e alterados ao mesmo tempo por outros usuários do sistema.


Agenda
Gerenciar tarefas e compartilhar conteúdo com outras pessoas. Essa é a função do Google Agenda, um gerenciador de tarefas que se integra à conta dos usuários de e-mail do GOOGLE. Com uma interface simples e organizada, permite acessos a recursos como compartilhar agendas, agregar conteúdo de outras agendas e controlar eventos. Os compromissos podem ser visualizados por dia, semana ou mês. Imagine marcar um encontro com os amigos ou uma reunião com algumas pessoas do trabalho por meio do aplicativo. Para isso, basta incluir o evento na data desejada e permitir a inclusão da informação na agenda por outros usuários.
Desktop
O serviço foi criado com o objetivo de simplificar a organização de informações. É possível fazer buscas de arquivos dentro do computador, em e-mails do Outlook/Outlook Express, arquivos do Word, Excel e PowerPoint e histórico de páginas visitadas na Internet. A ferramenta permite ainda que informações sejam inseridas e compartilhadas pelos usuários do sistema e traz uma barra lateral personalizável para acesso a outras seções, como a de notícias, meteorologia, fotos e e-mail.


Maps
Encontrar locais específicos, traçar rotas de tráfego e visualizar mapas: esse é o papel do Google Maps. O serviço disponibiliza mapas e rotas para qualquer ponto do planeta. A versão brasileira traz ainda o Local Business Center, ferramenta que permite o cadastro de empresas que queiram ser encontradas no sistema por qualquer usuário. Algumas empresas petrolíferas, por exemplo, já utilizam a solução para visualizar pontos estratégicos para pesquisas de novas bacias de petróleo. O serviço está disponível atualmente para 181 países ao redor do mundo.
Earth
Quando surgiu o Google Earth revolucionou a maneira como enxergamos o mundo. Com ele, é possível visualizar imagens de satélite, mapas, terrenos e construções em 3D. O sistema pode ser adaptado para necessidades corporativas no formato PRO. Nesta versão, é possível realizar pesquisa e inclusão de dados e restringir o acesso a elas. Como exemplo, a Eurodisney criou uma ferramenta interativa que proporciona aos clientes uma viagem tridimensional pelo destino turístico. A maioria das grandes cidades do planeta já está disponível em imagens com resolução suficiente para visualizar edifícios, casas ou mesmo detalhes mais próximos, como por exemplo, automóveis. Todo o globo terrestre já está coberto com aproximação de pelo menos 15 quilômetros. Hoje em dia o serviço está disponível em mais de 40 idiomas.
Chrome
O browser surgiu para competir com o Internet Explorer, da Microsoft, o Firefox, da Mozilla, e o Safári, da Apple. O navegador é capaz de gerenciar vários aplicativos independentes ao mesmo tempo, como acesso à Internet, arquivos de música, processador de texto e organizador de fotos.


Uma marca poderosa
A pesquisa da Interbrand, do grupo Omnicom, apontou o serviço de busca GOOGLE como “Marca do Ano” em 2002 superando lendárias concorrentes como Coca-Cola, GE e Apple. Mais uma vez era a Internet mostrando sua força, e olha que a marca não faz propaganda nenhuma de seus serviços ou de sua marca. Em 2010 a marca foi apontada como a mais influente do mundo.


Uma empresa com senso de humor
Já virou tradição no GOOGLE fazer pegadinhas no dia da mentira (1º de Abril). Algumas delas se tornaram lendárias: em 2000 quando lançou o Google MentalPlex, que usava o poder mental como força de busca, bastando para isso olhar para um círculo que ele adivinhava o que o internauta queria buscar; em 2002 quando declarou que usava pombos para agilizar as buscas, pois além do baixo custo, eles tinham capacidade de reconhecer objetos; em 2004 quando anunciou sua base na lua e que estava contratando engenheiros; quando anunciou um e-mail de 1GB que parecia mentira, mas não era; em 2005 quando lançou a bebida Google Gulp em quatro sabores, que prometia melhorar a inteligência alterando o seu DNA; ou ainda em 2010 quando anunciou que estava mudando seu nome para TOPEKA.


O nome
Em 1998, Larry e Sergey decidem que o mecanismo de pesquisa BackRub precisa de um novo nome. Depois de algumas discussões, eles concordam com GOOGLE – uma brincadeira com a palavra “googol”, inventada por Milton Sirotta, sobrinho do matemático americano Edward Kasner, para designar o número 1 seguido de 100 zeros. É possível ver uma boa representação disso no rodapé das páginas de busca do GOOGLE: o marcador de páginas de resultados consiste em um “G” com vários “o”, de modo que a busca fique organizada. O uso do termo simbolizava a missão dos dois jovens de organizar a aparentemente infinita quantidade de informações na web. A missão do GOOGLE era oferecer a melhor opção de busca na Internet tornando as informações mundiais mais acessíveis e úteis. O GOOGLE começou a utilizar nomenclaturas próprias no mês de junho de 1999, quando surgiu o termo “Googler” para designar os funcionários da empresa. Depois surgiram outros termos internos derivados: Noogler (novo Googler, ou seja, um novo funcionário), Gaygler (funcionário gay), Doogler (funcionário que tem cachorro), Carpoogler (funcionário que dá ou pega carona) e Greygler (funcionário de uma “certa idade”).


Verbo Googlar
O verbo googlar (ou guglar), inspirado no inglês to google, é um neologismo que significa executar uma pesquisa na Internet pelo motor de busca GOOGLE. A nova palavra é uma evidência clara da grande popularidade atingida pelo GOOGLE. A Sociedade Americana de Dialetos escolheu o verbo “to Google” como a palavra mais útil de 2002.


A sede
A sede da empresa, desde março de 2004, é conhecida como GOOGLEPLEX, um enorme complexo composto por 30 prédios onde trabalham mais de 9 mil pessoas. Localizado em Mountain View (no endereço 1.600 da Amphitheatre Parkway), na Califórnia, seu nome é a junção da palavra GOOGLE e COMPLEX (complexo). Porém há outra explicação: Googleplex é o nome que designa o número 10 elevado ao googol. Trabalhar nesta sede é completamente diferente do que trabalhar em qualquer outra. Os funcionários podem utilizar a piscina a qualquer hora do dia ou da noite, e há até um salva-vidas de plantão. E não é só isso. Há mesas de sinuca, videogames, cabeleireiros, academias, playground para os filhos de funcionários, um campo de areia para jogar vôlei e vias para locomoção de patinete ou Segway. Além é claro dos diversos restaurantes com comidas e bebidas à vontade, para todos, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Cada funcionário tem direito a duas refeições gratuitas por dia em uma das 11 cafeterias espalhadas pelo complexo. Além das diversas opções de pratos oferecidos nestes locais, a empresa também dispõe de diversas lanchonetes menores em que diversos lanches gratuitos estão disponíveis.


Os funcionários do complexo contam ainda com massagistas e podem levar até cachorros para o local de trabalho. As baias de trabalho dos funcionários são bastante espaçosas e confortáveis. Cada um decora sua mesa como bem entender e, num ambiente super jovial e descontraído, o que não faltam são fones de ouvido: eles ouvem música o dia inteiro. Perto do local do coffee break há espaço nas paredes para quem tiver alguma idéia e for desenvolvê-la escrever, ou simplesmente anotá-la para não esquecer. Quem possui carro pode até mesmo usar a estrutura da empresa para lavá-lo gratuitamente e realizar trocas de óleo. E tem mais: ambientalmente sustentável, o complexo possui painéis solares que poderiam iluminar mais de mil casas, além do gramado de seus jardins serem aparados por 200 cabras. Uma empresa como o GOOGLE não poderia deixar de contar com uma espetacular conexão à Internet. Há Wi-Fi disponível por todo o complexo; ou melhor, por toda Mountain View. Isso mesmo: o GOOGLE instalou Internet sem fio, grátis, nos quatro cantos da cidade. Cada novo funcionário que começa a trabalhar no complexo é chamado de Noogler. Depois de pagar aluguel muitos anos, a empresa resolveu comprá-la em definitivo da Silicon Graphics por US$ 319 milhões em 2006. Recentemente, com a ajuda da Marin Bee Company, a empresa instalou no campus o Hiveplex, quatro colmeias pintadas com as cores do GOOGLE, que em 2010 rendeu a primeira colheita de mel.


Filantropia
Em 2004 a empresa formou a GOOGLE ORG, uma entidade sem fins lucrativos, com fundo inicial de US$ 1 bilhão, para aplicar em projetos contra o aquecimento global, além de combater doenças e a pobreza que assola muitos países do planeta. O primeiro projeto financiado foi o desenvolvimento de um carro elétrico capaz de atingir uma velocidade de 160 km/h. Atualmente utiliza a informação e a tecnologia do GOOGLE para construir produtos e investir em projetos que ajudem na realização de políticas contra os desafios globais, como por exemplo, energia solar ou até mesmo acompanhar e monitorar epidemias.


Os gênios por trás da marca
O GOOGLE é resultado de duas mentes brilhantes e precoces. O americano Lawrence Page, filho de um cientista da computação da Universidade Estadual de Michigan, Dr. Carl Victor Page. Sua paixão por computadores começou cedo, aos seis anos. Seguindo os passos do pai na Universidade de Michigan, se formou em engenharia da computação. E o russo Sergey Mihailovich Brin, que emigrou em 1979 para os Estados Unidos juntamente com a família, fugindo ao anti-semitismo da antiga União Soviética. Seu pai começou a trabalhar na tradicional Universidade de Maryland, no College Park. A mãe de Sergey trabalha atualmente como especialista na NASA. Ele formou-se em matemática e ciência da computação com honras pela tradicional Universidade de Maryland. Ambos fizeram mestrado na renomada Universidade de Stanford quando fundaram o GOOGLE em 1998. Os fundadores da empresa, ambos com menos de 40 anos, estão entre os 10 americanos mais ricos segundo a lista de 400 nomes divulgados pela renomada revista Forbes. De acordo com pesquisa feita pela revista, eles possuem uma fortuna avaliada em US$ 16.5 bilhões. Essa pesquisa revela também que ambos são os mais jovens entre o Top 10 da lista. A fortuna dos fundadores do GOOGLE quadruplicou comparada com a última lista apresentada em 2004 quando os garotos tinham “apenas” US$ 4 bilhões cada.


Logotipos divertidos
Divertir-se com o logotipo corporativo e redesenhá-lo de tempos em tempos é impensável em muitas empresas, mas, no GOOGLE, isso faz parte da marca e de sua filosofia. Irreverência, criatividade e brincadeiras que costuma promover para seus usuários. O GOOGLE é realmente uma empresa diferenciada. Por isso, o GOOGLE possui inúmeros logotipos comemorativos (batizados oficialmente de GOOGLE DOODLES, que são os desenhos feitos sobre, ou usando como base o logotipo oficial da marca) referentes a feriados, datas e acontecimentos importantes como o Dia dos Pais, Dia das Mães, Dia de Ações de Graça, Natal, Ano Novo, 4th July (comemoração da independência americana), entre outras. Seja o primeiro dia da primavera, o aniversário de Albert Einstein ou os cinqüenta anos da descoberta do DNA, a equipe do doodle sempre encontra um jeito de celebrar esses eventos únicos com arte e muita criatividade. No dia 30 de agosto de 1998, o conceito de doodle se originou quando Larry e Sergey, os fundadores da empresa, brincaram com o logotipo corporativo para marcar a sua presença no festival Burning Man, no deserto de Nevada. Um desenho simples de uma pessoa foi colocado atrás da segunda letra “o” da palavra Google. O logotipo modificado (foto abaixo) era uma forma bem-humorada de dizer aos usuários que os fundadores haviam “saído do escritório”. Ainda que o primeiro doodle tenha sido bastante simples, a idéia de decorar o logotipo da empresa para celebrar eventos importantes foi muito bem recebida pelos usuários.


Um ano depois, em 2000, eles pediram ao atual webmaster, Dennis Hwang, um designer americano de origem oriental e que era um estagiário na época, para criar um doodle para o Dia da Queda da Bastilha. Felizes com o resultado, os fundadores nomearam Dennis como Doodler-Chefe do GOOGLE. Assim, os doodles se tornaram um acontecimento regular na página inicial do GOOGLE, deixando as pesquisas mais divertidas para milhões de usuários no mundo inteiro. Quando os eles foram criados, ninguém esperava que se tornariam tão populares ou tão abrangentes para a experiência de pesquisa com o GOOGLE. Hoje em dia, muitas pessoas aguardam ansiosamente o lançamento de cada novo doodle e alguns até os colecionam. A equipe de doodles já criou mais de 340 deles para o site nos Estados Unidos, e mais de 780 para o resto do mundo. A coleção completa por ser encontrada aqui.


A evolução visual
Ao longo de sua história a marca modificou muito pouco seu conhecido e colorido logotipo, projetado por Ruth Kedar com base na fonte “Catull”. O logotipo original durou apenas dois meses. Foi substituído por outro que ganhou sombra e o ponto de exclamação, além da letra G inicial que passou a ser azul. Em 1999 nova mudança: apenas um afinamento no corpo das letras e a exclusão do ponto de interrogação, ocorrida oficialmente no dia 6 de novembro. No início do mês de maio de 2010, o GOOGLE deu uma renovada em sua identidade visual e apresentou um novo logotipo com cores mais brilhantes, eliminação do sombreamento das letras e a exclusão do símbolo ™. As modificações deram, assim, um ar mais jovial e moderno à marca da empresa.


Dados corporativos
● Origem: Estados Unidos
● Fundação: 4 de setembro de 1998
● Fundador: Sergey Brin e Larry Page
● Sede mundial: Mountain View, Califórnia
● Proprietário da marca: Google Inc.
● Capital aberto: Sim (2004)
● Chairman: Eric E. Scmidt
● CEO: Larry Page
● Presidente de tecnologia: Sergey Brin
● Faturamento: US$ 29.3 bilhões (2010)
● Lucro: US$ 8.5 bilhões (2010)
● Valor de mercado: US$ 182.2 bilhões (novembro/2011)
● Valor da marca: US$ 55.317 bilhões (2011)
● Presença global: 200 países
● Funcionários: 31.353
● Acessos: 1º site mais visitado da Internet
● Segmento: Internet
● Principais produtos: Google Search, Google Earth, Gmail, Google AdSense, Google News, Android e Google Toolbar
● Principais concorrentes: Yahoo, Microsoft, Facebook e Apple
● Outros negócios: Orkut, Youtube, Blogger, Picasa, Feedburner e Motorola
● Ícones: O logotipo colorido
● Slogan: Don’t Be Evil. (Não utilizado oficialmente)
● Website: www.google.com

O valor
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca GOOGLE está avaliada em US$ 55.317 bilhões, ocupando a posição de número 4 no ranking das marcas mais valiosas do mundo, além de ocupar a posição de número 1 no ranking das marca mais influentes do mundo. A empresa também ocupa a posição de número 92 no ranking da revista FORTUNE 500 de 2011 (empresas de maior faturamento no mercado americano).

A marca no mundo
Ou melhor, o mundo no GOOGLE. O grau de dependência do mundo em relação ao GOOGLE pode ser medido em números: mais de 760 milhões de internautas acessam sua página mensalmente; responde a mais de 210 milhões de consultas por dia; maior site de buscas do planeta com 1.7 bilhões de pesquisas diariamente; proprietário de fenômenos como Orkut, Blogger e Youtube; emprega quase 31.500 pessoas; possui subsidiárias em mais de 43 países e 180 domínios registrados; seu site é traduzido para 116 idiomas; oferece mais de 100 produtos e serviços; é executado através de mais de um milhão de servidores em data centers ao redor do mundo; contrata 16 novos funcionários por dia; além de faturar US$ 29.3 bilhões e ser o 1º site mais visitado da Internet. Precisa algo mais. Além disso, o GOOGLE é forte concorrente da Apple em mobilidade; da Microsoft, em internet; do Facebook, nas redes sociais; e das emissoras de tevê e dos provedores de conteúdo, em virtude dos serviços Google TV e YouTube.

Você sabia?
● Nos computadores do GOOGLE estão indexadas mais de 45 bilhões de páginas para consultas e pesquisas.
● US$ 182.2 bilhões é o seu valor de mercado na Bolsa de Valores, mais que Oracle, Time Warner e Coca-Cola.
● O slogan oficial da empresa, criado pelo engenheiro Paul Buchheit, é “Don’t be evil” (em inglês algo como “Não seja mau”). Apesar de oficial, o slogan não é utilizado na comunicação oficial da empresa. Além de servir como um lembrete de que a empresa tem um compromisso em seguir a lei de diferentes países, o slogan serve como uma forma de estimular o desenvolvimento de produtos eficientes, e que tenham como principal foco o conforto de cada usuário.
● O domínio www.google.com foi registrado um ano antes da fundação da empresa, mais exatamente no dia 15 de setembro de 1997, por uma empresa especializada em registro de marcas, a Mark Monitor Inc.
● O GOOGLE não permite que qualquer tipo de anúncio em pop-up apareça em seu site. Não apenas são irritantes, eles vão contra a idéia de que as pesquisas no GOOGLE devem ser rápidas e simples.